Palavra do Pastor
Notícias

Tema: A caminho da promessa de Deus
Ttulo: Falai a verdade
Texto: Êxodo 20.16
“Não dirás falso testemunho contra o teu próximo”

Introdução
Na semana passada nós falamos sobre o furto, este do versículo anterior que foi a celebração da honestidade, agora neste versículo 16 podemos chamar este mandamento da “celebração da verdade”.
Todo sistema judiciário Hebreus era baseado no testemunho. Em nosso sistema judiciário define Falso testemunho -  Crime consistente em fazer afirmação falsa, ou negar ou calar a verdade como testemunha em processo judicial, policial ou administrativo, ou seja, em juízo arbitral. Dar, oferecer ou prometer dinheiro ou qualquer outra vantagem a testemunha, para fazer afirmação falsa, negar ou calar a verdade em depoimento, ainda que a oferta ou a promessa não seja aceita.
Para que possamos entender melhor este mandamento vamos ler em Deuteronômio 19.15-21, visto que neste texto são dadas instruções acerca das testemunhas.
15  Uma só testemunha contra alguém não se levantará por qualquer iniqüidade, ou por qualquer pecado, seja qual for o pecado que cometeu; pela boca de duas testemunhas, ou pela boca de três testemunhas, se estabelecerá o fato.
16  Quando se levantar testemunha falsa contra alguém, para testificar contra ele acerca de transgressão,
17  Então aqueles dois homens, que tiverem a demanda, se apresentarão perante o SENHOR, diante dos sacerdotes e dos juízes que houver naqueles dias.
18  E os juízes inquirirão bem; e eis que, sendo a testemunha falsa, que testificou falsamente contra seu irmão,
19  Far-lhe-eis como cuidou fazer a seu irmão; e assim tirarás o mal do meio de ti.

Esta claro aqui que não pode se julgar uma pessoa apenas com uma testemunha, pois a mesma pode estar mentindo. Diz o texto que uma só pessoa não é suficiente para condenar ou libertar, mas duas ou três se testificará o fato. Muito cuidado meu querido irmão ao se levantar contra o teu próximo ou com quem quer que seja! Neste contexto histórico, aquele que levantou falso testemunho, receberá a mesma condenação que seria dada ao outro.
O fato do Senhor estabelecer esta lei significa que havia esta necessidade, pois certamente havia pessoas tomando tal atitude de testemunhar falsamente.
O Art.342 e seus parágrafos do nosso Código Penal definem três verbos típicos acerca desta conduta:
1º.) fazer afirmação falsa;
2º.) negar a verdade;
3º.) calar a verdade.

Dentro destas três definições jurídicas vamos fazer uma análise acerca da nossa conduta cristã diante do Senhor e dos homens.

I – Não farás afirmação falsa contra teu próximo

Afirmar uma inverdade é crime. A mentira trás conseqüências muitas vezes irreparáveis em nossa e na vida do nosso semelhante. Em todos os aspectos a mentira é reprovada. 
No evangelho de João Jesus afirma aos judeus que:
“Vós tendes por pai o Diabo, e quereis satisfazer os desejos de vosso pai; ele é homicida desde o princípio, e nunca se firmou na verdade, porque nele não há verdade; quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio; porque é mentiroso, e pai da mentira.” Jo 8.44

Ap 22.15 Ficarão de fora os cães, os feiticeiros, os adúlteros, os homicidas, os idólatras, e todo o que ama e pratica a mentira.
Ilustrar

II – Não negarás a verdade

Nunca negue um fato real. Não tenha medo de falar a verdade. É obvio que devemos tomar todo cuidado necessário para que a situação não se torne mais difícil. Fale com amor e cuidado. Não importa se esta verdade causará constrangimento. A nossa vida deve ser pautada pela verdade. Quantas vezes somos pressionados a negar a verdade. É o chefe que lhe faz tal apelo: Diga que eu não estou! Fala que eu já fui embora!
É o patrão ou o amigo que pede um favor:
Seja minha testemunha contra a empresa tal. Negue a verdade! Seja a meu favor!
Ou ao contrario, seja a favor da empresa. Minta com medo de perder o emprego, mas não se esqueça que depois você terá que prestar contas a Deus. Quantas pessoas crentes têm mentido perante um juiz para benéfico próprio ou para favorecer outros.

Provérbios 14.5
“A verdadeira testemunha não mentirá, mas a testemunha falsa se desboca em mentiras.”

Provérbios 14.25 – A testemunha verdadeira salva vidas, a enganosa destrói!
A testemunha verdadeira livra as almas, mas o que se desboca em mentiras é enganador.
Não negues a verdade.

III – Não se esconder à verdade

Quantos crentes tem se calado diante da oportunidade de falar a verdade. Já dizem os antigos: “Quem cala consente”
Não podemos nos esconder em falar a verdade. Um erro cometido não pode ser escondido por uma mentira. A mentira não redime.
Não se esconder da verdade tem a ver também com o julgamento em relação às pessoas.
Segundo escritor M. Scott Peck, “Todo julgamento é filho do ressentimento, todo julgamento é indevido, todo julgamento é falso testemunho. "Se for a de aumentar a nossa auto-estima, o nosso orgulho, então o propósito do julgamento está errado" (PECK, M. Scott, op. cit., p. 309).

Julgamos alguém quando falamos dela sem de fato conhecermos a verdade, e isto se chama fofoca. Quando damos informações irresponsáveis sobre alguém, do dito maldoso, do disse-me-disse irrefletido, do comentário em segredo sobre alguém, da intromissão na vida de alguém.

Meu irmão se esconda da verdade. O Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo nos ensinou a viver dignamente.

Em Efésios 4.25 o apóstolo Paulo nos diz:

“Pelo que deixai a mentira, e falai a verdade cada um com o seu próximo, pois somos membros uns dos outros.”

1João 2.4

“Aquele que diz: Eu o conheço, e não guarda os seus mandamentos, é mentiroso, e nele não está a verdade”

Se desejamos ser crentes fiéis ao Senhor precisamos falar a verdade. Jamais testemunhar de maneira fraudulenta. Não devemos nos esconder à verdade.

Conclusão

I – Nunca devemos fazer uma afirmação falsa contra outra pessoa
II – De forma alguma devemos negar a verdade III – Não devemos omitir ou se esconder à verdade

 

 
Direitos autorais reservados - Desenvolvido por Acek